Voltar

Notícias

Tupy bate recorde de receita no segundo trimestre

Notícias

5 de agosto de 2021

Receita líquida é de R$ 1.645 milhões, o que representa aumento de 7% em relação ao 1T21

A multinacional brasileira Tupy encerra o segundo trimestre de 2021 com mais um recorde: R$ 1.645 milhões, maior receita líquida de sua história. Isso representa um crescimento de 7% em relação ao primeiro trimestre deste ano, que havia batido a maior marca da Empresa anteriormente, com R$ 1,5 bilhão. Se comparado ao mesmo período do ano anterior, o aumento é de 155%.

Outros dois indicadores importantes foram o lucro, R$ 31 milhões frente ao prejuízo de R$ 15 milhões no primeiro trimestre deste ano, e o Retorno sobre o Capital Investido (ROIC) de 11,3%, ante 6,7%, no primeiro trimestre de 2021 e 2,2%, no segundo trimestre do ano passado. A Companhia continua com uma forte disciplina financeira, encerrando o período com endividamento líquido de R$ 772 milhões, uma relação entre dívida líquida e EBITDA Ajustado correspondente a 0,93.

Também no segundo trimestre, a Tupy anunciou o fechamento do acordo de aquisição dos negócios de fundição de ferro da Teksid, contemplando as plantas localizadas no Brasil e em Portugal. A transação contempla ativos com alto potencial de sinergia, que viabilizam o acesso a novos clientes e mercados e a flexibilidade necessária para capturar as oportunidades de crescimento dos mercados em que atua.

Nesta divulgação de resultados, a Empresa anunciou o pagamento de Juros sobre Capital Próprio, no valor de R$ 19,6 milhões, em 26 de agosto, e programação de distribuição de duas parcelas do mesmo valor, em novembro de 2021 e janeiro de 2022, a serem deliberadas oportunamente.

“Estamos observando uma retomada desde o último trimestre de 2020, mas ainda com alguns desafios em custo e disponibilidade da matéria-prima e na produção de insumos importantes para nossos clientes, o que impactou os resultados deste trimestre. Por outro lado, esse aumento de demanda para o qual preparamos toda a operação continua em pauta, sustentado pela elevação do consumo e necessidade de reposição de estoques. Com a integração com a Teksid, aumentaremos nossa capacidade produtiva, o que nos permitirá absorver o volume que segue uma tendência de crescimento”, diz Fernando de Rizzo, CEO da Tupy.

Novos projetos e parcerias
O segundo trimestre da Tupy foi um período repleto de lançamentos de projetos e parcerias. Um deles é a ShiftT, aceleradora de startups, uma das iniciativas da Tupy Up, que visa converter, acelerar e escalar oportunidades em novos segmentos e promover melhorias nos existentes, por meio da inovação e da transformação digital.

Já a vertente Tupy Tech, estrutura voltada ao desenvolvimento de P&D disruptivo, firmou parceria com a Universidade de São Paulo – USP para pesquisa de soluções de reciclagem de baterias íon-lítio, promovendo maiores índices de reaproveitamento de materiais e menor emissão de gases de efeito estufa no processo.

Outra importante parceria, recentemente anunciada, é a cooperação com a AVL e Westport para desenvolvimento de materiais, geometrias e técnicas de usinagem, que contribuam com a eficiência de um motor a hidrogênio de alto desempenho, iniciativa que é parte da estratégia da Tupy na jornada de descarbonização dos clientes nas próximas décadas.

Sobre a Tupy
Multinacional brasileira que desenvolve e produz componentes estruturais em ferro fundido de elevada complexidade geométrica e metalúrgica. Essas soluções de engenharia são aplicadas nos setores de transporte, infraestrutura, agronegócio e geração de energia e contribuem com a qualidade de vida das pessoas, promovendo o acesso à saúde, ao saneamento básico, à água potável, à produção e distribuição de alimentos, ao comércio global. A inovação tecnológica envolvida na produção e na criação destas peças é a especialidade da empresa, em seus mais de 80 anos de história. Sua produção se concentra nas fábricas brasileiras, em Joinville/SC e Mauá/SP, e no exterior, nas cidades de Saltillo e Ramos Arizpe, no México. Além disso, possui escritórios comerciais em São Paulo, EUA e Alemanha.

Imprensa

Subir